Arrematei um veículo no leilão, e agora?

Este breve artigo tem como objetivo esclarecer aos recém chegados ao universo dos leilões os passos a serem seguidos após o arremate de um veículo. Se você tem curiosidade de saber como um arremate funciona, então este artigo foi escrito para você.

Se você chegou até aqui é porque já ouviu sobre as oportunidades fantásticas oferecidas nos leilões. Com certeza você consegue se imaginar arrematando veículos por valores mais baixos e ainda contando com a tranquilidade de saber a procedência de cada um dos lotes, mas a questão que desperta dúvida em quem acabou de chegar é “O que fazer após arrematar um lote?”, ”Quais são os próximos passos?”. Então, vamos te contar tudo que precisa saber.

Após a arrematação é tudo bem simples, nossa equipe entra em contato por telefone para confirmação do seu arremate e repassa algumas informações importantes sobre as formas de pagamento e prazos de retirada.

Depois do primeiro contato, enviamos um e-mail com os detalhes do arremate e as contas do leiloeiro para pagamento do lote. 

Com a transação bancária concluída, encaminhe o comprovante de pagamento para um de nossos canais oficiais (Whatsapp ou e-mail) junto com o número do lote. E agora, você já pode vir até nossa sede e realizar a retirada. 

Deixe aqui seu comentário, dúvidas e sugestões!

Por que alguns lotes são retirados do leilão?

O texto esclarece aos iniciantes no mundo dos leilões alguns dos principais motivos que levam o comitente a retirar o lote do pregão.

Hoje vamos falar de um tema muito perguntado por vocês, nossos leitores. Por que um lote é retirado do leilão? 

Antes de conversarmos sobre esse tema, é necessário ter em mente que um lote pode ser retirado do leilão por diferentes motivos.  

O primeiro caso de retirada de lotes de um leilão ocorre quando há um impedimento de venda, sendo um acordo com o antigo financiado, para os casos de veículos de Bancos e Financeiras.

Outro caso é que ao serem relacionados para leilão, os veículos são periciados. Caso haja necessidade de uma avaliação mais criteriosa, o lote pode ser retirado para um novo processo de perícia. 

E você? Já viu um lote ser retirado de um leilão por algum desses motivos? Conte aqui nos comentários!

ABC do leiloeiro — Carro sinistrado, saiba o que significa!

Esta série de artigos tem por objetivo esclarecer algumas das terminologias mais comuns no universo dos leilões. O tema de hoje é carro sinistrado. Você sabe o que isso significa? Se não sabe, então está no lugar certo!

 Você sabe o que é sinistro? Se não sabe, não tem problema, nós explicamos. O termo sinistro é amplamente difundido entre aqueles que possuem algum tipo de veículo, por ser uma nomenclatura muito utilizada pelas seguradoras. Mas você realmente sabe o que essa palavra significa?

O que é um sinistro?

Afinal de contas, o que é um carro sinistrado? É bem simples: sinistro é quando há uma apólice de seguro na qual estão elencados os danos para os quais o segurado terá direito de cobertura, ou seja, ressarcimento.

Um exemplo prático para ficar mais claro: quando um veículo sofre um sinistro que pode variar desde um vidro quebrado até uma colisão – e o automóvel está no seguro, isso significa que a seguradora deverá pagar uma indenização proporcional ao dano produzido.

Para mais dicas como esta, não deixe de ler nossos outros artigos!

 

 

3 Condutas de um arrematante de sucesso

Se você já fez seu cadastro no leilão e está de olho nos lances, confira as nossas dicas para ser um arrematante de sucesso!

1 – Leia o edital!

O edital é o documento com todas as informações relevantes do leilão, como o estado de conservação do veículo, taxas, débitos, forma de pagamento, dia, local e horário do leilão, etc. É preciso ter atenção: arrematar e não ler as condições do edital é como dar um passo no escuro.

2 – Vá à visitação

Um arrematante de sucesso não abre mão de ir à visitação. Nela é possível conferir de perto as condições do veículo. Lembre-se: no leilão não há garantia, é preciso ter certeza antes de dar qualquer lance. Por isso, ir à visitação é fundamental.

3 – Saiba até onde você pode ir

Todo arrematante experiente conhece seus próprios limites e sabe definir um valor máximo para os lances. É preciso conhecer o mercado, o veículo e os valores, para fazer um bom negócio. Além disso, no leilão, outras taxas também são incluídas, como as taxas administrativas e a comissão do leiloeiro, e o arrematante também pode precisar investir para melhorar as condições do veículo arrematado.

E aí, gostou das nossas dicas? Qual outra conduta você recomenda para ser um arrematante de sucesso?

ABC do leilão: Aprenda os termos mais utilizados no ramo

Seja você novato ou experiente no mundo dos leilões, já deve ter percebido que o leilão possui uma linguagem própria. Neste artigo do blog, vamos abordar os principais termos:

  • Lance inicial

É o valor estipulado para iniciar a abertura de lances para um lote; não significa que corresponde ao valor mínimo determinado pelo comitente.

  • Lance condicional

Quando o valor do lance ofertado é inferior ao preço mínimo estabelecido pelo comitente. Nesse caso, o lance condicional é recebido pelo leiloeiro e enviado para análise do comitente, que pode aprovar, rejeitar ou enviar uma contraoferta.

  • Auditório Virtual

Página da web na qual os leilões virtuais acontecem.

  • Arrematante

Arrematante é quem oferta o lance vencedor, ou seja, aquele que ofertou o maior lance por último.

  • Comitente

Comitente é a empresa, órgão ou instituição que disponibiliza o bem que será leiloado.

  • Edital

É o documento oficial de leitura obrigatória que guia o leilão. O edital possui todos os dados e as informações relevantes para a realização do leilão, como data e horário em que será realizado, descrição e estado de conservação dos lotes, comissão do leiloeiro etc.

  • Lote

Lote pode representar um bem ou um conjunto de bens que serão leiloados de uma única vez. Caso o lote contenha mais de um bem, o arrematante leva todos os itens do lote.

  • Monta

Termo utilizado para classificar o estado dos veículos sinistrados. É dividido em pequena monta, média monta e grande monta (sucata).

  • Lote retirado

Lote retirado é o termo utilizado para definir a remoção do bem do leilão, a pedido do comitente.

  • Incremento mínimo

É o valor mínimo que pode ser acrescentado na oferta ao dar um lance, garantindo a dinâmica do leilão.

Agora que você conhece os principais termos, já está preparado para dar seu primeiro lance. Venha para o leilão e faça bons negócios!

Veículos de leilão de seguradoras: São um bom investimento?

 

Entender com profundidade os assuntos do ramo de leilões traz mais segurança para o arrematante, isso é um fato. Se você pensa em investir em carros, o leilão de seguradoras pode ser a oportunidade ideal para fazer excelentes negócios.

Quando um veículo que possui seguro sofre algum tipo de dano, o proprietário aciona a companhia de seguros, que paga ao assegurado o valor acordado na apólice.

Esse dano no automóvel pode ser proveniente de acidente, alagamento, furto etc. Nos casos em que for determinada a substituição do automóvel, a seguradora faz o recolhimento do bem e o coloca a leilão para repor o custo da indenização.

Os veículos danificados são vistoriados a fim de definir seu estado de conservação após o dano. A partir desse momento, os veículos são divididos em 3 categorias: pequena monta, média monta e grande monta.

É um bom negócio?

Por se tratar de carros sinistrados, muitas pessoas sentem receio de adquirir esses veículos. A maior dica para arrematar um veículo de seguradoras é ter claro qual o seu objetivo. Se estiver disposto a fazer alguns reparos, ou enxerga em veículos danificados uma oportunidade para o reaproveitamento de peças, pode ser sim um bom investimento!

Lembre-se: veículos categorizados como grande monta estão impedidos de circulação mesmo que liguem ou andem. São as famosas “sucatas”, em cujo caso uso próprio não é uma opção.

Para realizar um bom arremate de veículos de seguradoras, é importante conferir o edital com atenção para entender o estado daquele lote, bem como visitá-lo no pátio do leiloeiro. Assim você tem certeza de que ele atenderá às suas expectativas!

Novo sistema Renave impede fraudes por clonagem de veículos novos

Uma nova função do Renave (Registro Nacional de Veículos em Estoque) vai aumentar a segurança na venda de veículos zero quilômetro no Brasil. Com o Renave 0KM, iniciativa da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) do Ministério da Infraestrutura em parceria com o Serpro, todo carro novo sairá do estoque da loja para o comprador pelo sistema.  

Não haverá alterações para as montadoras. Um veículo acabado, com faturamento para um concessionário, será identificado com um veículo Renave 0KM. Com a implementação do Renave 0KM, os veículos novos vendidos vão cumprir o processo de registro no novo sistema. 

O sistema ampliará o horizonte de transformação digital no país e será obrigatório para todos os revendedores de veículos zero quilômetro. Para aderir ao sistema, as concessionárias devem fazer um cadastro no site credencia.estaleiro.serpro.gov.br. O processo é rápido, e a adesão é gratuita. 

De acordo com o secretário nacional de trânsito, Frederico Carneiro, “a concessionária deverá informar eletronicamente, na saída de estoque, o número da nota fiscal e do documento da pessoa física ou jurídica do comprador, para evitar fraudes. Sem essas informações, o automóvel não poderá ser registrado no Detran”.

 

Leilão: O que é? Como funciona? Por que participar?

 

O leilão é um negócio muito atrativo para quem deseja adquirir bens por um preço menor que o de mercado. Seja para usufruir ou para investir, quanto mais você souber sobre essa modalidade de compra, mais segurança e facilidade você garante. Então, aqui vai uma ajuda com tudo que você precisa saber antes de dar o seu lance.

 

O que é um leilão?

O leilão é uma venda pública, entre comitente (setor que disponibiliza o item que será leiloado) e arrematante, mediada pelo leiloeiro. Existem duas modalidades de leilões: Judicial e Extrajudicial.

A principal diferença entre essas modalidades está na disposição dos bens a leilão. No Judicial, são apregoados bens apreendidos ou penhorados por meio de um processo na Justiça. Em contrapartida, no extrajudicial o bem é leiloado por diferentes razões. Esses pertences podem ser leiloados presencialmente, on-line ou no leilão simultâneo.

O presencial é a forma mais clássica do leilão, os arrematantes devem comparecer ao auditório para dar o seu lance. Apenas os arrematantes presentes no recinto podem ofertar.

O leilão on-line acontece com o mesmo critério e seriedade que o leilão presencial, a diferença é apenas a plataforma utilizada. O pregão é feito no auditório virtual e a disputa é ao vivo com a presença de um cronômetro. Embora o leilão seja on-line, existe a possibilidade de realizar uma visitação presencial, permitindo que o arrematante confira de forma mais próxima o lote desejado antes de dar qualquer lance. A visitação é uma das etapas mais importantes dentro desse processo.

No leilão simultâneo, o pregão acontece de ambas as formas, on-line e presencialmente. O leiloeiro recebe as ofertas dos arrematantes presentes fisicamente e virtualmente de forma simultânea. Cabe a gerência do leilão determinar as condições aceitas, para obter um critério de igualdade entre os arrematantes.

Como funciona?


Considerado por muitos uma das práticas mais antigas da humanidade, o leilão funciona da seguinte forma: os bens são divididos em “lotes” e cada lote pode conter um ou mais elementos. A partir deste ponto é determinado um “lance mínimo” pelo comitente, valor pelo qual será iniciado a disputa pelo bem. Vence quem ofertar o valor mais alto, antes do cronômetro zerar.

Os comitentes normalmente determinam um preço mínimo para arremate. Quando um lote é arrematado por um valor abaixo do estipulado pelo comitente, é chamado de venda condicional. Nesses casos, o leiloeiro envia a proposta recebida e cabe ao comitente aceitar o valor ofertado ou não.

Após o leilão, o pagamento e a retirada dos lotes devem ser efetuados no prazo definido no edital, documento que guia o leilão com dados e informações essenciais sobre todos os lotes a serem apregoados, junto com a comissão de 5% do leiloeiro e outras taxas administrativas.

O pagamento do lote arrematado é realizado sempre na conta do Leiloeiro Oficial, nunca na conta de terceiros. Essas contas são mencionadas no edital do leilão. É necessário estar sempre atento as indicações do edital para não ter complicações futuras.

Por que participar?


Um dos principais motivos para participar de um leilão é a chance de realizar um bom negócio, pois existem infinitas possibilidades de arrematar um bem por um valor bem abaixo do preço de mercado, sem abrir mão da segurança e com muita transparência.
Caso você esteja pensando em arrematar, é preciso saber que o leilão não é um comércio e que dar um lance é assumir o compromisso de compra. Por isso, é imprescindível conferir tudo sobre o lote e ter certeza antes de dar qualquer lance para obter a melhor experiência possível no mundo dos leilões.